domingo, 1 de novembro de 2009

Sebastião Salgado

Nós somos o inevitável. Somos a culminação do desequilíbrio social e industrial. E agora nos voltamos contra a sociedade que nos criou. Somos os fracassos bem-sucedidos desta era, a peste de uma civilização desgraçada.

Somos os filhos de uma perversa relação social. Enfrentamos a força com a força. Só os fortes sobreviverão. Nós acreditamos na sobrevivência dos mais aptos. O senhor afundou os seus escravos na lama e sobreviveu. Seus capatazes, sob seu comando, mataram como cães seus empregados num bom número de greves sangrentas. Por estes meios o senhor sobreviveu. Não nos queixamos do resultado, pois aceitamos e nos mantemos segundo a mesma lei natural. Agora, a questão se coloca: sob a presente ordem social, qual de nós sobreviverá? (p. 125).

Do livro: LONDON, Jack. De vagões e vagabundos: memórias do submundo. Tradução de Alberto Alexandre Martin. Porto Alegre: L&PM Editores, 1985.

Nenhum comentário:

Postar um comentário